conheça o
nosso blog

23 de Setembro de 2019

Entenda os novos juros da Caixa para financiamento imobiliário

Compartilhar: Ícone de WhatsApp

O financiamento imobiliário tem se tornado, cada vez mais, acessível para muitas pessoas que buscam adquirir um imóvel, seja para sair do aluguel ou mesmo pelo desejo de iniciar uma vida nova. Por isso, é fundamental compreender todos os aspectos que compõem a modalidade e os seus mais recentes formatos. 
 

A Caixa Econômica Federal implementou um novo modelo de financiamento que abrange o segmento imobiliário e que estabelece novos valores de juros - mais baixos do que o padrão do mercado. Quer saber mais sobre o assunto? Então, continue a leitura deste texto. 
 

NOVO SISTEMA

 

De antemão, é necessário saber que os empréstimos destinados à compra da casa própria são obrigatoriamente corrigidos pela Taxa Referencial (TR). Mas qual a função dela? É simples: a TR atua corrigindo os contratos de financiamento imobiliário, a poupança e o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Essas últimas são duas das principais fontes de dinheiro para empréstimos voltados à construção e à compra de imóveis. 
 

O próximo passo é entender mais sobre a taxa de juros que será aplicada no processo. Ela é composta por dois fatores: uma taxa fixa - que irá variar de 2,95% a 4,95% ao ano - e a soma referente à variação da inflação, calculada com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) mensal. Vale salientar que a taxa mais baixa (de 2,95% ao ano) valerá somente para funcionários públicos. O teto sempre será de 4,95%. 
 

Em todas as oportunidades, o banco financiará até 80% do imóvel em um prazo de 30 anos. Lembre-se de que os juros sempre irão variar de acordo com a inflação. Essa modalidade está ativa desde o final de agosto. 
 

QUEM PODERÁ PARTICIPAR?

 

Todos poderão participar, mas tal modalidade tem como público consumidores com um maior aporte financeiro, uma vez que eles podem lidar mais facilmente com as oscilações da inflação. O programa Minha Casa Minha Vida continua com o sistema anteriormente empregado. 
 

A única restrição para obter o financiamento é que o cliente destine no máximo 20% da sua renda mensal para a finalidade, anteriormente o percentual permitido era de 30%. Com isso, a nova linha atingirá os consumidores com uma maior folga no orçamento, evitando inadimplência. 
 

Os contratos agora podem ter o prazo de até três anos (36 meses), com prestações que tendem a diminuir com o tempo de compromisso.  
 

Em suma, com a medida, a Caixa começou a oferecer uma modalidade de financiamento imobiliário com juros abaixo do mercado, porém o contrato sempre será reajustado mensalmente devido à variação da inflação. Caso você já tenha um financiamento ativo, ele permanecerá com as especificações do modelo antigo. As novas taxas apenas serão destinadas aos novos contratos. 
 

Siga a Rocha Empreendimentos nas redes sociais e acompanhe sempre o blog para mais novidades! 
 

Saiba o que fazer para financiar um imóvel pelo Minha Casa Minha Vida

MAIS DO BLOG

Vantagens de comprar um imóvel novo

Ler Matéria

Financie seu sonho!

Ler Matéria

3 motivos para sair do aluguel

Ler Matéria